sábado, julho 15, 2006

Os Chakras e as doenças Físicas

OS CHACRAS E AS DOENÇAS FÍSICAS

Com referência às enfermidades físicas e sua relação com os Chacras (considerados como pontos focais para as energias que chegam de qualquer fonte) seria útil que fizéssemos certas e amplas considerações, lembrando que elas podem ter exceções, sobretudo no que diz respeito à boa ou má saúde dos neófitos:
Cada um dos sete Chacras principais, rege ou condiciona - seja do ponto de vista da matéria ou mesmo da alma e do princípio vida - a região do corpo físico onde está situado, incluindo os muitos Chacras secundários e plexos de força que ali existem.
As três grandes e básicas divisões manifestadas da Divindade, acham-se simbolicamente presentes em cada Chacra:
O princípio vida, o primeiro aspecto, aparece quando o Chacra tenha se desenvolvido completamente ou despertado exotericamente. Sempre está presente em estado latente, mas não é um fator dinâmico que produza estímulo monódico para finalizar o grande ciclo de evolução.
A qualidade ou aspecto da alma aparece gradualmente no processo de desenvolvimento evolutivo e produz, no Tempo e Espaço, o efeito definido que o Chacra exerce sobre seu meio ambiente. Esta qualidade depende do Raio (seja o da personalidade ou o da alma) que origina a energia entrante, ou do Raio que rege o corpo astral, no caso de uma pessoa pouco evoluída, e também do grau de evolução e da influência radiada de outros Chacras.
O aparecimento no corpo Etéreo de um Chacra desenvolvido ou em desenvolvimento, indica a posição que o homem ocupa na escala evolutiva, sua filiação racial e sua meta consciente; esta última pode abarcar desde a ênfase, posto sobre a vida sexual, e a conseqüente atividade do Chacra Básico, até a meta do iniciado, que põe em atividade o Chacra Coronário. Tudo isto produz um efeito conseqüente sobre o tecido circundante, a substância e as formas orgânicas dentro do Raio de influência do Chacra. A zona de influência varia de acordo com a atividade do Chacra e este depende do grau evolutivo alcançado pelo indivíduo e do preponderante tipo de energia ao qual ele reage.
A energia entrante se transmuta e forças dentro do Chacra. Isto implica num processo de diferenciação, onde a energia primária envolvida se converte em energias secundárias, o que ocorre automaticamente; a rapidez do processo de transmutação, a potência da resultante acumulação de forças e a atividade radiada (que produz resultados condicionados no corpo físico denso) dependem do grau de desenvolvimento do Chacra articuladamente envolvido e se está desperto ou não.
As forças que saem de um Chacra atuam sobre a contraparte etérea de toda a intricada rede de nervos que constituem o sistema nervoso. Estas contrapartes, de idênticas analogias subjetivas, se denominam nadis na filosofia hindu; constituem uma complexa e muito extensa rede de energias fluídicas, um sistema interno intangível, paralelamente ao dos nervos corpóreos, o qual é a exteriorização de um conjunto interno de energias. Não existe, entretanto, uma tradução em nenhum idioma para a antiga palavra nadis, devido a que existência deste sistema subjetivo ainda não foi reconhecido, e no Ocidente, prevalece o conceito materialista dos nervos como um sistema criado em resposta à um ambiente tangível. O conceito de que estes nervos são o resultado físico denso de um mecanismo interno e sensível de resposta é, entretanto, muito indefinido e não reconhecido pela moderna ciência ocidental. Quando esta substancia sutil (composta de fios de energia) for reconhecida como subjacente nos nervos tangíveis, teremos progredido em nossa abordagem ao problema da saúde e da doença, aproximando-nos mais ao mundo das causas. Esta rede de nadis forma um mecanismo definido de vida que varia de acordo com o Raio da personalidade.
Os nadis determinam, portanto, a natureza e a qualidade do sistema nervoso com suas extensas redes de nervos e plexos que abarcam todo o corpo físico. Os nadis e, em conseqüência, a rede de nervos, estão principalmente relacionados Dom dois aspectos do equipamento físico do homem - os sete Chacras principais do corpo Etéreo (o corpo vital que subjaz no corpo físico e denso) e a coluna vertebral , mais a cabeça. Deve-se lembrar que o corpo Etéreo (matriz) é um corpo físico, ainda que composto de matéria mais sutil do que aquela (cópia) que podemos ver e tocar. É composto de substância ou daquilo que subjaz ou fundamenta cada parte e partícula do veículo físico denso. Isto, futuramente, receberá a atenção dos curadores e médicos iluminados da nova era. Quando se reconheça a relação que existe entre os nadis e os nervos, conjuntamente com os Chacras da coluna vertebral, então se produzirá uma grande revolução nos métodos médicos e psiquiátricos. A experiência demonstrará que quando se obtém uma interação mais estreita entre ambos - os nadis e os nervos - poderá se controlar mais rapidamente as enfermidades.
Os nadis no corpo etéreo correspondem à vida ou aspecto espírito; os nervos são a analogia da alma ou aspecto qualidade. O que aparece como sua exteriorização conjunta é o sistema endócrino, que corresponde à forma ou aspecto matéria. Os três - nadis, sistema nervoso e glândulas - são as analogias materiais dos três aspectos Divinos; respondem exotericamente à estes três aspectos e fazem com que o homem, no plano físico, seja o que é. Os três estão também condicionados (por ação dos sete Chacras, como já vimos) pelos veículos - astral ou mental, ou pela personalidade integrada, ou pela alma - que começa a utilizar a personalidade como agente transmissor e transmudador e, ao finalizar o caminho do discipulado - pela Mônada, via antahkarana, empregando este caminho auto criado, como um canal direto de comunicação com os sete Chacras e dali com o triplo sistema de nadis, nervos e glândulas.
Estes três sistemas maiores dentro do ser humano, expressam, por meio do corpo físico, a condição ou grau de desenvolvimento dos Chacras. A vida, a qualidade e a energia que representam, são distribuídas por todo o veículo físico mediante a corrente sangüínea. A ciência moderna já esta reconhecendo como uma realidade o fato de que a corrente sangüínea distribui certos elementos liberados pelas glândulas. Ainda não reconhece o fato da relação que existe entre as glândulas e os Chacras, com o sistema de nadis e nervos. O próximo grande passo que dará a medicina, será o reconhecimento da realidade do corpo etéreo, substância física que subjaz na matéria densa.
Quando os Chacras despertam no corpo, aparece então um sistema nervoso altamente elétrico, que responde imediatamente à energia conduzida pelos nadis, cujo resultado será um sistema endócrino bem equilibrado. A vitalidade e a vida que fluirá através do corpo será então tão poderosa que automaticamente o corpo físico ficara imune às enfermidades, sejam natas, hereditárias ou de origem grupal. Com estas palavras, expressa-se uma probabilidade futura e não uma possibilidade imediata. Algum dia, o homem coordenará perfeitamente os três sistemas, que responderão fisicamente ao mecanismo interno de nadis e Chacras, e se integrará conscientemente com a alma, e mais tarde - por meio do anthakarana - com o princípio da vida.
Atualmente há um desequilíbrio e alguns Chacras ainda não despertaram, outros estão super estimulados e os Chacras abaixo do diafragma super ativados; em conseqüência temos zonas inteiras do corpo em que ao nadis estão em estado embrionário, em outras estão altamente energizados, mas suas emanações detidas por algum Chacra, em que o trajeto de sua atividade ainda não despertou - ou, se o fez - entretanto não é irradiante. Estas condições produzem poderosos efeitos sobre o sistema nervoso e glândulas, resultando em alguns casos, em super estimulação e, em outros, condições anormais, falta de vitalidade, hiperatividade e outras reações indesejáveis, que produzem inevitavelmente enfermidades. Tais enfermidades surgem dentro do próprio corpo, como resultado das tendências hereditárias inerentes (ou deveria dizer nativas) ou predisposições existentes no tecido corpóreo, ou aparecem como resultado da irradiação ou não dos Chacras, que atuam através dos nadis; podem também originarem-se como resultado dos impactos ou contatos externos (tais como enfermidades infecciosas ou contagiosas e epidemias). A pessoa é incapaz de resistir devido a que seus Chacras não estão desenvolvidos.
Resumindo: Enfermidade, incapacidade física de todo tipo (logicamente excetuando-se as que se devem a acidentes e, em certa medida, à condições planetárias que provocam epidemias de natureza peculiarmente virulenta, como as produzidas freqüentemente pelas guerra) e os numerosos e diversos aspectos da má saúde, podem-se atribuir à condição dos Chacras, pois eles determinam a atividade ou a passividade dos nadis que, por sua vez, afetam o sistema nervoso fazendo com que o sistema endócrino seja o que é no indivíduo, e a corrente sangüínea a responsável por distribuir esta condição à todas as partes do corpo.

Sem comentários: